18 março 2014

Não quero me esquecer de tudo que devo lembrar

É verdade. A partir de hoje vou me lembrar de tudo de bom que penetrou em minha memória, tanto pela visão e audição quanto pela consciência.

 
Vou me lembrar daquele que me criou, meu mais remoto ponto de partida, pois me fez para ele e meu coração não descansa enquanto não repouso nele. Quero me lembrar de Deus antes de descobrir que tudo é um eterno correr atrás do vento, antes que o processo inescapável da decadência física tome conta de mim, antes que o corpo volte ao pó da terra, de onde tudo veio, e o espírito volte a Deus, que o deu.
 
Vou me lembrar das minhas obrigações morais, dos Dez Mandamentos, das bem-aventuranças, do paradigma que Deus coloca diante de mim, do processo contínuo da santificação.
 
Vou me lembrar de Jesus morto e ressuscitado, que tomou sobre si meu pecado, que removeu minha culpa e minha mancha, que me reconduziu ao Pai e que ainda é o meu defensor diante de Deus.
 
Vou me lembrar das promessas de Deus: a segunda vinda de Jesus, a ressurreição, o novo corpo, o juízo final e o novo céu e a nova terra.
 
Vou me lembrar de agradecer a Deus pela vida, pela saúde, por aquele toque misterioso do Espírito que abriu os meus olhos e me fez enxergar minha miserabilidade e a misericórdia de Deus. Vou contar e agradecer as bênçãos recebidas da divina mão e de mãos humanas.
Vou me lembrar dos meus pais e dos meus irmãos, do meu cônjuge, dos meus filhos, dos meus amigos e da família da fé. Assim nunca me esquecerei de que sou casado, sou filho e sou pai.


 
Vou me lembrar dos outros, dos que precisam do pão de cada dia, de trabalho, saúde, paz e salvação. Graças a essas lembranças, deixarei de lembrar-me apenas de mim, como se eu fosse o único ser vivente.
 
Que Deus me ajude a permanecer nesse mar de lembranças saudáveis, de hoje em diante!

Fonte: Revista ultimato edição 333/ Nove/Dez 2011
Reações:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...