18 abril 2012

Atentos ao que podemos fazer

               “Aquele, pois que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado”. (Tiago 4:17)

  Se olharmos para o panorama à nossa frente, veremos uma grande necessidade de mostrarmos aos outros e a nos mesmos que a nossa vida tem uma razão de ser. A verdade é que poucos conhecem um sentido para o seu viver porque na maior parte das vezes vivem uma fé abstrata: Pensam que amam a Deus e ao próximo, mas, na realidade do dia a dia, é diferente, isto é, as boas ideias que manifestam não são transformadas em atos. E nisso ficam sem ter sentido para a suas vidas.

   Descobrir o sentido da nossa vida é colocar em prática os nossos desejos e o nosso amor. Jesus ensina que devemos praticar o amor, principalmente no serviço em servir ao próximo. Não haverá razão para nossa existência, se nos não a usamos nossa vida para servir aqueles que nos rodeiam. Alguém já disse: “quem não vive para servir, não serve para viver”. Precisamos organizar nossa vida para o serviço. Se assim fizermos estaremos, capacitados para transformar nossos projetos intenções em atitudes concretas.

   As ações de Jesus e o modelo de atuação das comunidades cristã primitiva mostram-nos três verbos que nos ajudaram a concretizar as nossas intenções: ver, analisar e fazer.

             Vejamos então como isso funciona.

    Ver: Percepção dos que precisam de nós.

O Cristão não pode deixar de observar a situação dos outros que se encontram no mesmo mundo onde ele vive, afinal, como o próprio Jesus afirma, apesar de não sermos do mundo, mas estamos nele. Ver não pode ser simplesmente um exercício de olhar. É necessária uma visão critica dos efeitos, das injustiças e das distorções estruturais da nossa sociedade e do mundo por ela construído. Esta visão critica vai  exigir de nós um pleno conhecimento do homem, da sua natureza, característica e estrutura. Com este conhecimento, estaremos prontos para dar o próximo passo.

    Analisar: Interpretação das necessidades.

Depois de tomarmos conhecimentos da realidade em que vivemos, precisamos analisá-la: por que é que a nossa sociedade é injusta? O que faz com que os homens se corrompam? Quais as razões que levam o homem a agir displicente, em relação ao sofrimento alheio? Será que há imposição externas? Com a análise pronta, teremos condições de escolher o nosso modo de realizar, pois, de acordo com cada situação especifica, teremos diferentes opções de ação.

    Fazer: Prática que satisfaz às necessidades.

Conhecer a realidade e sabermos por que ela é assim. Sabemos então o que fazer! A nossa ação será eficaz, porque  será a solução exata do problema. Não teremos dificuldades em discernir o melhor modelo de ação, porquanto a nossa própria experiência no-lo dirá.
      Somos instrumentos de Deus para a melhoria, para a regeneração e para a salvação deste mundo. Entretanto, devemos usar outros meios que nos permitam agir assim. São eles:
 Um conhecimento profundo da Bíblia e da maneira como Deus revelou ao homem.
 Iguais conhecimentos da história da igreja Cristã e das suas ações nas mais diversas circunstanciam.
 Um conhecimento cuidadoso de nossa igreja e de nós mesmo, de nossas experiências e realizações.
    Usando estes meios, podemos descobrir ajudar e salvar os que precisam de nós. Alguém precisa de nós! Você duvida? O amor, a paz, e a misericórdia são frutos do Espírito, mas muitas vezes construímos gaiolas e trancamos o amor, a paz e a misericórdia e com isso ficamos aprisionados dentro de nós. Que Deus tenha misericórdia de nós pecadores. No amor de Cristo.
                                         Pastor Cícero Manuel
Reações:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...